Domingo | 21/out/2018 | das 09h - 13h

Avaliação dos Touros

PROMEBO – Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne

O Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (PROMEBO) visa a obtenção de ganhos genéticos, através da utilização de ferramentas seguras na escolha dos animais melhoradores. Consiste em um sistema moderno e econômico que, através da seleção, promove o melhoramento genético do rebanho de corte de todo o Brasil. (clique aqui para saber mais)

 

DNA-PERFIS GENÔMICOS (HD-50K-ZOETIS)

Aplicado a todos os Touros Na Central, esse teste de alta densidade com mais de 50.000 marcadores de DNA, proporciona grande confiabilidade para diversas características econômicas importantes e com um grande banco de dados de animais genotipados, consegue comparar animais de diversas partes do mundo. No catálogo informamos apenas as características que mais se destacaram (TOP>33%), sendo, quanto menor o número melhor a sua posição no ranking mundial.

 

ULTRASSONOGRAFIA DE CARCAÇA, ALTURA E PESO

Aplicado a todos os Touros para Cruzamento, esse teste avalia características importantes para a indústria, tais como AOL (Área de Olho de Lombo) positivamente relacionada ao peso e porcentagem de cortes comerciais, EGS (Espessura de Gordura Subcutânea) Indicador de precocidade e fertilidade de fêmeas e inversamente relacionada a porcentagem de cortes comerciais e Marmoreio (Porcentagem de Gordura Intramuscular) relacionada a palatabilidade e aumento da maciez da carne. Esse conjunto de informações, junto com a altura e peso serve para munir o pecuarista de dados objetivos para que tenha melhores condições de escolher o tipo de animal que se adapta melhor aos seus objetivos de produção.

TESTE DE LIBIDO E CAPACIDADE DE SERVIÇO

Todos os touros são submetidos a esse teste que tem como objetivo garantir que o animal apresente plenas condições de participar de um programa de monta natural. O animal tem alguns minutos para encontrar as vacas em cio num grupo de fêmeas e então recebe uma pontuação de acordo com o tempo que leva para realizar a cópula.

 

TESTE ANDROLÓGICO

Todos os touros são submetidos a esse teste que tem como objetivo avaliar seus órgãos reprodutivos e atestar a capacidade do animal de produzir sêmen de boa qualidade de acordo com as normas do Colégio Brasileiro de Reprodução Animal.

Manejo de Touros Angus

Para que o touro Angus tenha uma boa eficiência a campo, o pecuarista deve ficar atento aos principais cuidados no manejo destes animais. Logo no início da estação, os touros jovens recém introduzidos na propriedade devem receber uma atenção especial. É importante avaliar com bom senso as diversas situações que podem ocorrer, com tempo suficiente para tomar as providências necessárias, de forma que os resultados não sejam comprometidos. Seguem algumas orientações:

  1. Não colocar de imediato os touros adquiridos com os outros touros da propriedade;
  2. Observar se existem touros dominantes, que podem impedir que os novos, ou submissos, consigam trabalhar. Se for esse o caso, devem ser feitos rodeios diários, sempre no mesmo local, para destruir as hierarquias dos touros dominantes. O rodeio é uma importante ferramenta para monitorar o andamento da estação e melhorar os resultados;
  3. Fazer a adaptação através de regime de pasto, por, pelo menos, duas semanas;
  4. Observar possíveis variações no estado corporal, especialmente dos touros jovens inexperientes, que podem ter tido desgastes energéticos desnecessários;
  5. Oferecer pastagem, sal mineral e água de boa qualidade, em quantidade;
  6. Relação de Touro x Vaca: recomendamos 1:25, com rotação a cada 10 dias;
  7. Fazer a rotação de touros é fundamental. Deixar o touro Angus trabalhando por 10 dias e depois, deixá-lo descansando pelo mesmo período (10 dias), tem se mostrado um procedimento muito rentável. Durante o descanso, deve ser oferecido ração apropriada. Temos observado que a adoção de um procedimento padrão, forçando a rotação durante a estação de monta, tem provocado bons resultados;
  8. Realizar exame andrológico e teste de capacidade de serviço anualmente;
  9. Casqueamento corretivo quando necessário e preventivo (1 vez ao ano);
  10. Controle frequente de endo e ectoparasitas (carrapatos).

O desempenho do touro Angus depende de cuidados, especialmente no combate ao carrapato.

O CALOR NÃO É UM FATOR LIMITANTE PARA O DESEMPENHO DO TOURO ANGUS.

Cadastro e Lances (43) 3373-7000